Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Informática Web
  4. Programação de Dispositivos Móveis

Programação de Dispositivos Móveis

Código 11119
Ano 3
Semestre S1
Créditos ECTS 6
Carga Horária PL(30H)/T(30H)
Área Científica Informática
Tipo de ensino Ensino presencial.
Estágios Não aplicável.
Objectivos de Aprendizagem O objetivo desta unidade curricular é abordar o desenvolvimento de aplicações nativas para plataformas móveis, enfatizando detalhes específicos relativos ao design, estrutura, e recursos e linguagens utilizadas nesse desenvolvimento. Pretende se que o(a) aluno(a) transporte e aplique conhecimento previamente adquirido na engenharia e implementação dessas aplicações. Pretende-se também cativar no(a) aluno(a) a sensibilidade para problemas específicos a esta área, nomeadamente no que se refere ao design e portabilidade de aplicações móveis.

No final da Unidade Curricular o estudante deve ser capaz de:
1. Projetar e implementar autonomamente aplicações para dispositivos móveis;
2. Trabalhar com uma equipa na engenharia e desenvolvimento de software ou sistema direcionados para dispositivos móveis;
3. Utilizar, com facilidade, ambientes gráficos de desenvolvimento integrado ou a interface de linha de comandos para desenvolver aplicações móveis;
4. Lidar com detalhes relativos ao armazena
Conteúdos programáticos 1. Definição e Evolução de Dispositivos Móveis
2. Arquiteturas de Hardware e Sistemas Operativos Móveis
3. Plataformas e Kits de Desenvolvimento Móveis
4. Arquitetura Modelo Visão Controlador
5. Componentes de Aplicações Móveis
6. Desenho de Interfaces
7. Projeto e Depuração de Aplicações Móveis
8. Comunicação entre Componentes e Processos
9. Gestão e Armazenamento de Dados
10. Integração com Sensores, Rede e outras Aplicações
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação Durante o período ensino-aprendizagem, a avaliação a esta unidade curricular é feita recorrendo a três elementos principais: um teste de aferição de conhecimentos escrito (T), um trabalho prático individual (TPI) e um trabalho prático de grupo (TG). T vale 50% da classificação para o período ensino-aprendizagem (o equivalente a 10 valores), enquanto que TPI vale 20% (o equivalente a 4 valores) e TG vale 30% (o equivalente a 6 valores). A classificação para o período ensino-aprendizagem (C) é obtida da média ponderada das notas obtidas nos referidos elementos:
C = 0.50 x T + 0.20 x TP + 0.30 x TG.

A assiduidade (Ass) para esta unidade curricular é de 76% (o equivalente a uma tolerância de 6 faltas no total das aulas teóricas e práticas). A aprovação à unidade curricular e a concessão de frequência depende da assiduidade e da classificação para o período ensino-aprendizagem. O(a) aluno(a) é aprovado(a) caso obtenha uma classificação superior ou igual a 9.5 e assiduidade superior ou igual a 76% durante o período ensino-aprendizagem. Em caso de aprovação, a classificação final (CF) é o número inteiro mais próximo de C, i.e.,
Se C >= 9.5 e Ass >= 76%, Então Aprovado com CF = arredondar(C).

Em caso de aprovação no período ensino-aprendizagem, o(a) aluno(a) é dispensado(a) de exame, embora possa ir melhorar a sua classificação em exame.

A admissão a exame depende da obtenção de uma classificação superior ou igual a 6 e assiduidade superior ou igual a 76% no período ensino-aprendizagem, i.e.,
Se C >= 6 e Ass >= 76%, Então Admitido a Exame;
Caso contrário, Reprovado.

As notas do trabalho prático individual e do trabalho de grupo continuam a contar para exame. O exame (E) versa sobre toda a matéria lecionada e praticada durante o período ensino-aprendizagem, substituindo o teste de aferição de conhecimentos, valendo portanto 50% da classificação final. A classificação após exame (CE) é calculada usando a fórmula:
CE = 0.50 x E + 0.20 x TPI + 0.30 x TG.

A classificação final à unidade curricular no final das atividades letivas depende da assiduidade e da maior das duas classificações C e CE. O(a) aluno(a) é aprovado(a) à unidade curricular se uma das classificações C ou CE for superior ou igual a 9.5 e a assiduidade seja superior a 76% (a assiduidade conta também para admissão a exame).
Em caso de aprovação, a classificação final (CF) é o número inteiro mais próximo da maior das duas classificações. A classificação final será Reprovado caso ambas as notas sejam inferiores a 9.5 ou a assiduidade inferior a 76%:
Se MAX(C,CE) >= 9.5 e Ass >= 76%, Então Aprovado com CF = arredondar(MAX(C,CE));
Caso contrário, Reprovado.

Estes critérios aplicam-se a alunos de erasmus e trabalhadores estudantes, à excepção da assiduidade às aulas e salvo situações pontuais devidamente discutidas e acordadas com o regente da unidade curricular. Para alunos com estes estatutos, os trabalhos práticos de grupo podem eventualmente vir a ser substituídos por um trabalho individual com dificuldade ajustada.

Momentos de avaliação
Frequência a realizar dia 18/12/2018, vale 10 valores.
Trabalho Prático Individual, entregue até 26/11/2018, vale 4 valores.
Trabalho de Grupo, entregue até 03/01/2019, vale 6 valores.
Bibliografia principal Pedro R. M. Inácio, Introdução à Programação de Aplicações Android - Apontamentos de Apoio e Guias Laboratoriais de Programação de Dispositivos Móveis, May 2015.
Ricardo Queirós, Android - Introdução ao Desenvolvimento de Aplicações, FCA - Editora de Informática, Abril 2013.
Mark Murphy. The Busy Coder's Guide to Android Development. Commonsware, 2012.
Mark Murphy. Android Programming Tutorials. Commonsware. 2012.
Google Inc. The official site for Android developers. Provides the Android SDK and documentation for app developers and designers. [Online] Available: http://developer.android.com/index.html [Last access: 13/09/2014.]
Apple Inc. iOS Dev Center - Apple Developer. [Online] http://developer.apple.com/iphone [Last access: 13/09/2014.]
Língua Português
Data da última atualização: 2014-08-07
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.