Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Ciência Política e Relações Internacionais
  4. Relações Interculturais

Relações Interculturais

Código 12282
Ano 3
Semestre S2
Créditos ECTS 6
Carga Horária TP(60H)
Área Científica Sociologia
Tipo de ensino Presencial e diurno.
Estágios Não contempla estágio.
Objectivos de Aprendizagem 1. Dar a conhecer aos alunos a importância da diferença cultural na configuração das relações sociais em contextos nacionais e internacionais;
2. Demonstrar aos alnos a importância do factor cultural no relacionamento e negociação internacionais.
No fim da unidade curricular, o aluno deve:
1) aceitar e relativizar a diferença cultural, entendendo-a como uma qualidade intrínseca à natureza humana;
2) distinguir e valorizar a diferença cultural em contextos de negociação. > 1. Dar a conhecer aos alunos a importância da diferença cultural na configuração das relações sociais em contextos nacionais e internacionais;
2. Demonstrar aos alnos a importância do factor cultural no relacionamento e negociação internacionais.
No fim da unidade curricular, o aluno deve:
1) aceitar e relativizar a diferença cultural, entendendo-a como uma qualidade intrínseca à natureza humana;
2) distinguir e valorizar a diferença cultural em contextos de negociação.
Conteúdos programáticos Introdução: As Relações Interculturais e Relações Internacionais

Unidade e diversidade humana
Dimensões: geográfica, biológica/género, linguística, religiosa, cultural/civilizacional, racial e étnica

Conceitos de cultura, civilização, interculturalidade, multiculturalidade, raça e
etnia, universalismo e cosmopolitismo. Estereótipos

As Relações Interculturais em contextos internacionais
Actores (Estados, organizações internacionais, empresas e sociedades civis)
Diplomacia e política cultural. A cooperação cultural. O sistema português de cooperação cultural
As comunidades linguístico-culturais transnacionais: a Lusofonia e a CPLP

As Relações Interculturais em contextos nacionais
Fluxos migratórios e modelos de integração sócio-cultural na União Europeia
A experiência portuguesa
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação 1. Teste (70%);
2. Trabalho prático/de casa - desenvolvimento em grupo (2 estudantes) de uma das perguntas colocadas pelo docente;
2.1. Parte escrita (20%;
2.2. Parte oral (individualizada) (10%).
Bibliografia principal DOLLOT, Louis, 1968, Les relations culturelles internationales, Paris : PUF

HOFSTEDE, Geert, 1997, Culturas e organizações: compreender a nossa
programação mental, Lisboa: Sílabo

HUNTINGTON, Samuel P., 1999 [1996], O choque das civilizações e a mudança na
ordem mundial, Lisboa: Gradiva

PÉREZ-NIEVAS, Xabier Z., 2006, Historia de las lenguas y los nacionalismos,
Barcelona: Gedisa Editorial

SAINT-MAURICE, Ana de, 1997, Identidades reconstruídas. Cabo-verdianos em
Portugal, Lisboa: celta Editora

VENÂNCIO; José Carlos, 1996, Colonialismo, antropologia e lusofonias. Repensando
a presença portuguesa nos Trópicos, , Lisboa: Editorial Vega

VENÂNCIO, José Carlos, 2009 [2000], O fato africano. Elementos para uma
Sociologia da África, Recife: Editora Massangana (pp. 49-67)

Língua Português
Data da última atualização: 2016-03-25
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.