Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Ciência Política
  4. Pensamento Político Contemporâneo

Pensamento Político Contemporâneo

Código 12289
Ano 1
Semestre S2
Créditos ECTS 7
Carga Horária OT(15H)/TP(45H)
Área Científica Ciência Política
Tipo de ensino presencial
Estágios n.a.
Objectivos de Aprendizagem O objetivo geral e principal desta unidade curricular consiste em apresentar e discutir os paradigmas teóricos e problemáticas do pensamento político, em especial a partir do século XX.
Objetivos específicos:
1. Adquirir conhecimento das matrizes conceituais do pensamento político contemporâneo;
2. Apreender as soluções apresentadas pelas diferentes abordagens do pensamento político contemporâneo aos problemas inerentes à realidade social e política (doméstica e internacional);
3. Produzir reflexão especializada e autónoma em torno de temas e problemas do pensamento político contemporâneo;
4. Adquirir competências de alto nível relacionadas com o conhecimento de fontes documentais e pesquisa bibliográfica na área do pensamento político contemporâneo.
No final da Unidade Curricular o estudante deve ser capaz de: 1) problematizar questões; 2) saber desenvolver, de forma original e fundamentada, hipóteses de interpretação e de crítica teórica; 3) aplicar os conteúdos adquiridos ao estudo da situação política contemporânea.


Conteúdos programáticos 1. Introdução: Paradigmas do Pensamento Político Contemporâneo;
2. Liberalismo: igualitário versus libertário;
3. Comunitarismo: moderado versus radical;
4. Democracia: deliberativa versus radical;
5. Pós-marxismo e pós-modernismo.
6. Marxismo e antiglobalização.
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação - Aulas teóricas e práticas, com recurso a PowerPoints disponibilizados pela docente na plataforma.
- Os textos serão lidos e discutidos no decorrer das sessões.
- Os estudantes devem ler os textos com antecedência e preparar fichas de leitura.
- Em cada sessão, um aluno ficará incumbido de fazer um relatório para ser apresentado na próxima sessão.

- Trabalho escrito com apresentação oral (75%) + Participação activa através da apresentação de fichas de leitura e relatórios solicitados (25%).
- Os alunos dispensam de exame com 10 valores e são admitidos a exame com a nota mínima de 6 valores.
Bibliografia principal André, J.G.; Santos, J. M.; e Dias, B. P. (2015). Teorias Políticas Contemporâneas. Lisboa: Documenta.
Cabrita, M. J. (2014). Utopia Realista. Lisboa: Fonte da Palavra.
Cabrita, M. J. (2018). “Michael Walzer: a diferenciação e complexidade do “eu”. In Col. Lusosofia: Estudos e Artigos. Covilhã: UBI.
Habermas, J. (1997). Direito e Democracia. Entre Facticidade e Validade, Vol. II. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, [1992].
Hardt, M.; Negri, A. (2001). Império, 2ª Ed., Rio de Janeiro: Editora Record. [2000].
Kukathas, C.; Pettit, P. (1995). Rawls «Uma Teoria da Justiça» e os seus Críticos. Lisboa: Gradiva.. [1990].
Mouffe, C. (1996). O Regresso do Político. Lisboa: Gradiva. [1993].
Mouffe, C. (2005). “Por um Modelo Agonístico da Democracia”. Revista de Sociologia e Política (25:11-23).
Negri, A. (2009). “Para uma Definição Ontológica da Multidão”. In Lugar Comum (19/20: 15-26). [2002].
Nozick, R. (2009). Anarquia, Estado e Utopia. Lisboa: Edições 70, [1974].
Rawls, J. (1993).Uma Teoria da Justiça. Lisboa: Editorial Presença, [1971].
Rosas, J. C. (2008). Manual de Filosofia Política, Lisboa: Almedina, 2008.
Stanford Encyclopedia of Philosophy. Available in: https://plato.stanford.edu/contents.html
Taylor, C. (1994). “Politics of Recognition”. In A. Gutmman, Multiculturalism (25-73). UK: Princeton University Press.
Taylor, C. (2009). A Ética da Autenticidade. Lisboa: Edições 70, [1991].
Walzer, M. (1999). As Esferas da Justiça. Lisboa: Editorial Presença, [1983].
Outros documentos disponibilizados na plataforma Moodle.
Língua Português
Data da última atualização: 2022-06-13
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.