Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Empreendedorismo e Inovação Social
  4. Estado-Providência e Políticas Sociais

Estado-Providência e Políticas Sociais

Código 12305
Ano 1
Semestre S1
Créditos ECTS 6
Carga Horária OT(15H)/TP(30H)
Área Científica Sociologia
Tipo de ensino Presencial
Estágios N/aplicável
Objectivos de Aprendizagem - Aprofundar os conhecimentos do modelo de estado providência, suas características e suas mutações recentes;
- Contribuir para um melhor conhecimento do Estado-Providência e das políticas sociais em Portugal e na Europa, em perspectiva comparada;

- No final da UC o estudante deverá ser capaz de:
- Compreender as principais características e mudanças no Estado-Providência e nas políticas sociais;
- Interpretar criticamente as potencialidades e limitações das políticas sociais nas suas práticas de intervenção social e organizacional;
- Reconhecer o papel das políticas sociais em diferentes domínios de intervenção (saúde, habitação social, educação ou segurança social);
- Promover estratégias empreendedoras que permitam rentabilizar e/ou colmatar o papel das políticas sociais e as contradições do Estado-Providência.
Conteúdos programáticos PARTE I – As políticas sociais na "sociedade do risco"

1.1. Risco, individualização e quebra dos laços sociais
1.2. Exclusão social e políticas sociais na sociedade do risco
1.3. Risco social e incerteza
PARTE II O Estado-Providência
2.1. Origens sociais e económicas
2.2. Contradições e crise do Estado Providência
2.3. Estado-Providência e Sociedade Civil
2.4. As políticas sociais


PARTE III – O Estado-Providência português em perspectiva comparada

3.1. Modelos nacionais de Estado-Providência
3.2. O Estado-Providência Português
3.3. As políticas sociais em Portugal
3.4. A Segurança Social
PARTE IV – A intervenção da sociedade civil

4.1. Da sociedade civil à sociedade providência
4.2. Estado-Providência e terceiro sector
4.3. Sociedade Civil
PARTE V – Globalização, liberalismo e Políticas sociais
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação Um trabalho individual (50%), uma ficha de leitura (30%) e avaliação da participação e da assiduidade (20%). A admissão a exame depende da obtenção de uma classificação mínima média de 07 valores e uma presença em pelo menos 70% das aulas.
Bibliografia principal Esping-andersen, G. (1990), The Three Worlds of Welfare Capitalism, Cambridge: Polity Press.
Esping-Andersen, G. (2002), Why We Need a New Welfare State, Oxford, Oxford University Press.
Ferragina, E.; Seeleib-Keiser, M.; Spreckelsen (2014), “The Four Worlds of ‘Welfare Reality’, Social Policy and Society, 1-21.
Ferreira, S. (2004), "O papel de movimento social das organizações do terceiro sector em Portugal", Actas do V Congresso Português de Sociologia, Braga.
Garland, D. (2016), Welfare State, a very short introduction, Oxford, Oxford University Press.
Gamble, A. (2016), Can the Welfare State Survive?, Cambridge, Polity Press.
Gidron, B. & Bar, M. (eds) (2010) Policy Initiatives Towards the Third Sector in International Perspective, London, Springer.
Hespanha, P. (2008), “Políticas sociais: novas abordagens, novos desafios, Revista de Ciências Sociais, Vol. 39, nº 1, 5-15.
Hespanha, P. e CARAPINHEIRO, G. (orgs) (2001), Risco social e incerteza. Pode o Estado Social recuar mais?, Po
Língua Português
Data da última atualização: 2018-07-18
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.