Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Filosofia
  4. Seminário de Ética e Fenomenologia I

Seminário de Ética e Fenomenologia I

Código 13031
Ano 1
Semestre S2
Créditos ECTS 15
Carga Horária OT(4H)/S(39H)
Área Científica Filosofia
Tipo de ensino presencial.
Estágios n.a.
Objectivos de Aprendizagem No final deste Seminário, os discentes devem estar em condições de:
1. Discutir, explicar e justificar a génese dos problemas, das noções e das implicações fundamentais da Fenomenologia nos seus contextos históricos e temáticos específicos, à luz de textos consagrados e de autores fundamentais;
2. Aprofundar e cruzar temáticas e perspetivas plurais da reflexão fenomenológica e do seu projeto in fieri com vista à possibilidade estruturada e pensada de transição para uma filosofia prática;
3. Redigir um trabalho escrito onde demonstre uma compreensão global dos problemas e uma capacidade de aplicar esse conhecimento na tomada decisões metodológicas e teóricas no âmbito de um tópico concreto.
Conteúdos programáticos Módulo I (Docente: Urbano Mestre Sidoncha)
«A Fenomenologia na sua autocompreensão como Filosofia Transcendental: a etapa husserliana»

Módulo II (Docente: António Campelo Amaral)
«Do comunismo ao capitalismo: o conceito de “trabalho vivo”»

Módulo III (Docente: Ana Leonor Santos)
«“Ce que la Science ne sait pas.” Críticas de M. Henry à Ciência Moderna.»

Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação A avaliação é feita mediante um trabalho escrito de investigação individual sobre um tópico dentro do âmbito geral do Seminário.
Bibliografia principal HENRY M., (1989), “Ce que la Science ne sait pas”, In: La Recherche, 208, pp. 422-426.
HENRY M., (1990), Du Communisme au Capitalisme, Théorie d’une Catastrophe, Paris, Éditions Odile Jacob.
HENRY M., (1992), “As Ciências e a Ética”, Conférence de Nice. Texto inédito, transcrito de suporte digital por Roland Vaschalde (tradução de Florinda Martins; pode ser consultada em www.lusosofia.net).
HUSSERL, E., (1907|2008), A Ideia de Fenomenologia, Lisboa, Edições 70.
Bibliografa secundária:
ATLAN H. (2002)., La science est-elle inhumaine? Será a ciência inumana? Ensaio sobre a livre necessidade, trad. Isabel Andrade, Lisboa, Instituto Piaget, 2004.
MERLEAU-PONTY M., (1952), "Les Sciences de l’Homme et la Phénoménologie" in Parcours deux 1951-1961, Lagrasse: Éditions Verdier, 2000: 49-128.
SIDONCHA U., (2011), Do Empírico ao Transcendental – A Consciência e o Problema Mente/Corpo entre o Materialismo Reducionista e a Fenomenologia de Husserl, Lisboa, FCG/FCT.
Língua Português
Data da última atualização: 2017-05-25
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.