Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Sociologia
  4. Estratificação e Classes Sociais

Estratificação e Classes Sociais

Código 13127
Ano 2
Semestre S1
Créditos ECTS 6
Carga Horária TP(60H)
Área Científica Sociologia
Tipo de ensino Presencial
Objectivos de Aprendizagem Compreender e interpretar os factores estruturadores da desigualdade social,da mobilidade e da estratificação, fazendo-o à luz dos contributos de alguns dos autores clássicos da Sociologia e de outros autores contemporâneos.
Concluir, com sucesso, a unidade curricular implica que o aluno seja capaz de:

1.Demonstrar compreensão dos quadros teóricos e metodológicos das classes sociais e da estratificação presentes nas desigualdades sociais;
2.Elaborar e debater colectivamente argumentos racional, lógica e analiticamente consistentes e sustentar a sua defesa;
3.Demonstrar capacidades de concepção, organização e execução de trabalhos teóricos e empíricos adequados ao seu nível de formação, bem como na comunicação oral e escrita.
Conteúdos programáticos 1ª parte: a problemática da estratificação e das classes sociais
A ideia de uma sociedade desigual e a existência de diferentes perspectivas teórico-analíticas.
2ª parte: teorias da estratificação e das classes sociais
a) Funcionalismo e princípios de estratificação.
b) A perspectiva pluridimensional de Max Weber
c) As teorias das classes sociais: de Karl Marx aos neomarxismos
3ª parte: o debate actual sobre a estratificação e as classes sociais
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação A avaliação de conhecimentos tem as seguintes componentes:

A) PERÍODO DE ENSINO/APRENDIZAGEM:

i)Componente teórica: avaliada mediante um teste, a realizar no fim do semestre. A parte teórica tem um peso de 45% na nota final;


ii) ´Trabalho analítico: a sua classificação é somada à da parte teórica, detendo uma ponderação de 45% na avaliação lectiva.

iii) Uma ponderação indicativa e qualitativa tendo por base o comportamento, o grau de interesse e a participação activa (colocando dúvidas e questões) do aluno na aula, incluindo a apresentação e a discussão em grupo: 10%.

PARA A CONCESSÃO DE FREQUÊNCIA: Só será concedida FREQUÊNCIA aos alunos que obtenham uma classificação mínima de 6 valores no teste, qualquer que tenha sido a classificação atribuída no trabalho. Isto é válido para todos os alunos (alunos em avaliação contínua e os que optaram pelo regime de avaliação final). Aos alunos em avaliação contínua para dispensarem de exame têm que conseguir uma classificação no teste superior ou igual a 8 valores (uma nota entre 6 e 8 implica sempre ida a exame), qualquer que seja a classificação no trabalho. A realização do teste é obrigatória para todos os alunos.
Bibliografia principal Base
Carvalho Ferreira, J. M. et al. (1995), Sociologia, Lisboa, McGraw-Hill
Estanque, Elísio e Mendes, J. Manuel (1998), Classes e Desigualdades Sociais em Portugal — um estudo comparativo, Porto, Afrontamento
Velho, Otávio et al. (orgs.), (1979), Estrutura de Classes e Estratificação Social, Rio de Janeiro, Zahar.

Complementar
Alonso, Rafael Feito (1995), Estructura Social Contemporánea — las clases sociales en los países industrializados, Madrid, Siglo XXI, 1997.
Bourdieu, Pierre (1979), La Distinction — critique sociale du jugement, Paris: Minuit.
Dahrendorf, Ralf (1959), Las clases sociales y su conflicto en la sociedad industrial, Madrid, RIALP, 1974.
Silva, Manuel Carlos (1998), Resistir e Adaptar-se — constrangimentos e estratégias camponesas no Noroeste de Portugal, Porto, Afrontamento.
Wright, E. Olin (1990), The Debate on Classes, Londres, Verso
Língua Português
Data da última atualização: 2017-06-22
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.