Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Eventos
  3. Estreia da peça "A Casa do Vestido Castanho", do TeatrUBI e ASTA

Estreia da peça "A Casa do Vestido Castanho", do TeatrUBI e ASTA

Img:

Estreia no dia 12 de março (quinta-feira), pelas 21:30h no Teatro Municipal da Covilhã, a mais recente coprodução doTeatrUBI - Grupo de Teatro da Universidade da Beira Interior e ASTA - Associação de Teatro e Outras Artes, intitulada A Casa do Vestido Castanho.

  12 de março de 2015  

  •   UBI

O trabalho tem vindo a ser desenvolvido deste os finais de outubro, encontrando-se atualmente na fase final de ensaios, sendo que a sua estreia irá marcar o início do 19º Ciclo de Teatro Universitário da Beira Interior, que este ano conta com a presença de diversos grupos portugueses, espanhóis e um francês. O certamente contempla no seu programa, para além dos espetáculos de teatro e dança, mostras de vídeo e uma conferência sobre mitos gregos, a ser realizada no Pólo 1 da Universidade da Beira Interior.

 O espetáculo A Casa do Vestido Castanho surge da improvisação de movimentos e situações por parte dos elementos do TeatrUBI, que ao longo dos ensaios e com a direção do encenador Rui Pires, foram construindo uma história, que contempla teatro, dança contemporânea e performance, em momentos mais dramáticos ou de comédia. O texto da peça é uma adaptação livre de Rui Pires a partir de textos de Fernando Pessoa e de Marisa Inglês.

A nível de elenco, este é composto pelos atores Diogo Proença, Gonçalo de Morais e Marisa Inglês.

A Casa do Vestido Castanho para além da sua estreia no dia 12, estará também em cena nos dois dias seguintes, 13 e 14 de março, pelas 21:30h no Teatro Municipal da Covilhã. Os preços dos bilhetes serão de 2,50€ para Sócios ASTA, estudantes, portadores Cartão +65 e desempregados, e de 5€ para os restantes. Para os portadores do Cartão Amigo da ASTA e Sócios TeatrUBI a entrada é gratuita.

Sinopse:

"As relações entre uma alma e outra, através de coisas tão incertas e divergentes como as palavras comuns e os gestos que se empreendem, são matéria de enganada complexidade. No próprio acto em que nos conhecemos, nos desconhecemos. Dizem os dois "amo-te" ou pensam-o e sentem-o por troca, e cada um quer dizer uma ideia diferente, uma vida diferente, até porventura, uma cor ou aroma diferente, na soma abstrata de impressões que constitui a actividade da alma. Nunca amamos alguém. Amamos, tamsòmente, a ideia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nos mesmos - que amamos".

 

Ficha Técnica:

Coprodução: TeatrUBI & ASTA
Criação e direção: Rui Pires
Assistente de direção: Maria Coelho
Texto: adaptação livre de Rui Pires, a partir de textos de Fernando Pessoa e Marisa Inglês
Desenho de luz: Pedro Fonseca
Edição sonora: Gonçalo de Morais
Professora de voz: Carmo Teixeira
Imagem do cartaz: Moncho Barazeiro
Cartaz: Marisa Inglês
Voz off: Sérgio Novo
Guarda-roupa: Maria Coelho e Marisa Inglês
Cocriação e interpretação: Diogo Proença, Gonçalo de Morais e Marisa Inglês

ver cartaz

Data última atualização: 2015-03-02

Data da última atualização: 2015-03-02
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.