Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Notícias
  3. Academia Júnior de Ciências encerra com nota alta

Academia Júnior de Ciências encerra com nota alta

  3 de abril de 2017  

  •   UBI

Img:

Terminou na sexta-feira a iniciativa que a UBI promove para os melhores estudantes do Ensino Secundário da região. A edição deste ano foi a mais participada de sempre.

A terceira Academia Júnior de Ciências (ACJ), através da qual a Universidade da Beira Interior (UBI) abre às portas a alguns dos melhores alunos do Ensino Secundário da região, finalizou na sexta-feira, dia 31. Após as 25 sessões que constituíram o programa da iniciativa, promotores e participantes fizeram um balanço que resultou em elogios à edição que foi a mais participada de sempre. Estiveram no projeto 28 estudantes do 12.º ano de escolaridade.

Com a experiência acumulada dos dois últimos anos, a estrutura e organização da ACJ foi melhorada, permitindo o aumento do número de alunos de mérito, provenientes de cinco escolas secundárias dos concelhos da Covilhã, Fundão e Gouveia. Desta vez, foram criados projetos diferenciados nas áreas da Física, Química e Matemática, para que os estudantes pudessem optar pelas matérias do seu interesse. “Ao propormos estas alternativas de trabalho, conseguimos ter os alunos mais mobilizados e em maior número”, refere Manuel Saraiva, docente da UBI responsável pela Academia Júnior de Ciências, que considera a terceira ACJ a melhor até agora.

A possibilidade de optar por diferentes áreas facilitou a obtenção de uma meta fundamental da iniciativa: contribuir para que estes estudantes de mérito obtenham um conhecimento mais aprofundado das diferentes ciências e que isso os ajude a definir qual o rumo a escolher no Ensino Superior, já no próximo ano. Além deste, a ACJ tem ainda como objetivos incentivar o gosto pelas ciências e a atividade científica, permitir a aquisição de novos conhecimentos – alguns deles que vão ser trabalhados no futuro em contexto universitário –, permitir mudanças de rotina de aprendizagem e introduzir o trabalho dentro dos laboratórios, ao mesmo tempo que mostra como é o ambiente universitário, em especial a UBI.

A ACJ pretende ainda afirmar o compromisso da UBI para com a região, contribuindo para melhorar a formação dos jovens e a ligação às entidades dos distritos de Castelo Branco e Guarda. Para realizar a Academia, mantém parcerias com as escolas envolvidas (Agrupamento de Escolas do Fundão, Agrupamento de Escolas de Gouveia e as escolas secundárias da Covilhã: Campos Melo, Frei Heitor Pinto e Quinta das Palmeiras) e as autarquias dos três municípios onde estão sediadas.

A importância deste projeto iniciado no ano letivo de 2014/2015 foi visível na sessão de encerramento, onde esteve António Fidalgo, reitor da UBI, e o vice-reitor João Canavilhas, elementos das autarquias e responsáveis dos estabelecimentos de ensino. A ideia e o trabalho efetuado mereceram elogios de todos os participantes. A reunião terminou com a entrega dos certificados aos academistas.

A ACJ começou em setembro e terminou no último dia de março. Decorreu nas tardes de sexta-feira, incluindo a participação nos projetos propostos (um deles foi a participação no Concurso Pontes de Esparguete, iniciativa do Departamento de Eletromecânica), a presença em três conferências, cinco sessões pontuais e uma visita de estudo ao Data Center. No último dia, à noite, houve ainda uma Observação Astronómica, no terraço do Departamento de Física. Nas atividades da Academia Júnior de Ciências estiveram envolvidos 26 docentes da UBI, em especial da Faculdade de Ciências.

Partilhar

Data da última atualização: 2017-04-03
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.