Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Notícias
  3. Escola da Nazaré ao encontro da literatura no Departamento de Letras

Escola da Nazaré ao encontro da literatura no Departamento de Letras

  18 de dezembro de 2018  

Img:

Escola Básica e Secundária Amadeu Gaudêncio visitou a Faculdade de Artes e Letras da UBI.

Alunos e professores da Escola Básica e Secundária Amadeu Gaudêncio, da Nazaré, estiveram na Universidade da Beira Interior (UBI), na quinta-feira, dia 13 de dezembro, numa tarde de contacto com obras e figuras incontornáveis da literatura portuguesa. Na Sala das Doações da Biblioteca Central assistiram a um evento organizado pelos professores Henrique Manso e Cristina Vieira, no âmbito da divulgação da universidade e da orgânica e dinamismo do Departamento de Letras desta instituição.

Os alunos foram surpreendidos ao longo de um passeio fora do normal pela literatura portuguesa, desde a representação do “Monólogo do Vaqueiro”, peça com que Gil Vicente, em 1502, estreou o teatro em Portugal. Na UBI, a encenação esteve a cargo do diretor da licenciatura em Estudos Portugueses e Espanhóis e da Unidade Curricular Literatura Portuguesa Clássica, Henrique Manso, com o auxílio de uma voluntária do público para o papel de rainha D. Maria.

A "mestre de cerimónias", que entrevistava os ilustres "convidados" que se seguiram ao mestre Gil Vicente, foi Cristina Vieira. A docente de Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea e diretora do Mestrado em Estudos Lusófonos pôde conviver e fazer conviver alunos e professores da escola da Nazaré com autores maiores da literatura lusa, como Camões, Sá de Miranda, D. Dinis, João Ruiz de Castelo-Branco e Bocage. Como não podia deixar de ser, Saramago, nestes vinte anos da atribuição do Prémio Nobel ao autor de Memorial do Convento, esteve também em destaque.

O evento atraiu as atenções não só pelos momentos dramatizados mas também pelos momentos musicais, como foi o caso do soneto camoniano "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades", ao som da música de José Mário Branco. Uma tarde em que se meditou sobre a importância das letras, num mundo cada vez mais dominado por tecnocracias kafkianas.

 

Partilhar

Data da última atualização: 2018-12-18
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.