Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Design e Desenvolvimento de Jogos Digitais
  4. Balanceamento e Monitorização de Jogos Digitais

Balanceamento e Monitorização de Jogos Digitais

Código 11157
Ano 2
Semestre S1
Créditos ECTS 6
Carga Horária PL(30H)/TP(30H)
Área Científica Design de Jogos
Tipo de ensino Presencial.
Estágios Não aplicável.
Objectivos de Aprendizagem Objetivos (Balanceamento): Esta vertente irá introduzir a temática de balanceamento de jogos digitais, estudando os diferentes problemas inerentes a um jogo digital em termos das diferentes dimensões nesta área, como os identificar, e as possíveis soluções e abordagens que podem ser tomadas para os solucionar. No final da UC, os alunos devem ser capazes de identificar problemas de balanceamento num jogo digital, nas suas diversas dimensões, e proporem diferentes abordagens para os resolver. Objetivos (Monitorização): A componente de Monitorização tem como objetivo apresentar modelos de desenvolvimento de produto flexíveis como Lean Startup e Agile, os quais permitem que um videojogo possa ser acompanhado e melhorado ao longo do tempo. De maneira complementar, também serão introduzidos frameworks e técnicas no que diz respeito a métricas para que estas sejam aplicadas em contexto real a videojogos.
Conteúdos programáticos Programa (Balanceamento):1. Definição de balanceamento.2. Dimensões de balanceamento.3. Técnicas genéricas de balanceamento.4. Balanceamento estático e dinâmico.5. Balanceamento de economias em jogos digitais.6. Estudo e apresentação de casos reais do mercado: Problemas e soluções adotadas.7. Avaliação prática de balanceamento de dois jogos reais. Programa (Monitorização):1. Apresentação do Lean Startup2. Apresentação de metodologias ágeis3. Introdução ao Business model canvas4. Introdução a métricas básicas de produtos digitais5. Frameworks de métricas e estágios de maturidade de uma startup6. App store optimization
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação Fase de aprendizagem: Os itens de avaliação serão os seguintes: - Teste escrito com peso de 40% da nota final - Trabalho de avaliação de jogo comercial com peso de 30% da nota final - Trabalho de planeamento e avaliação de jogo próprio com peso de 30% da nota final Cada item de avaliação terá proporções e pesos iguais para as componentes de Balanceamento e de Monitorização. Para ir a exames, o aluno deve obter o mínimo 8 valores. A nota obtida em exame serve irá substituir apenas a nota do teste escrito no cálculo final.
Bibliografia principal Bibliografia (Balanceamento):• Schell, Jesse (2008). The Art of Game Design – A Book of Lenses. Morgan Kaufmann, California, USA.• Sylvester, Tynan (2013). Designing Games: A Guide to Engineering Experiences. Published by O’Reilly Media, Inc., Sebastopol,California, USA.• Koster, R. (2013). A Theory of fun for game design. Paraglyph Press, Scottsdale, Arizona, USA.• Adams, Ernest (2013). Fundamentals of Game Design, New Riders, California, USA.• Rollings, Andrew and Adams, Ernest (2003). on Game Design, New Riders, California, USA.Game Balance Concepts, by Ian Schreiber Jogos digitais no contexto escolar, por Felipe Fros A proposal for an advanced strategic MMOG, by Pedro de Almeida (Monitorização):• Osterwalder, A., & Pigneur, Y. (2010). Business model generation: a handbook for visionaries, game changers, and challengers. JohnWiley & Sons.• Croll, A., & Yoskovitz, B. (2013). Lean analytics: Use data to build a better startup faster. " O'Reilly Media, Inc.".• Schwaber, K., & Beedle, M. (2002). Agile software development with Scrum (Vol. 1). Upper Saddle River: Prentice Hall.• Ries, E. (2011). The lean startup: How today's entrepreneurs use continuous innovation to create radically successful businesses. CrownBooks.• Müller, R. M., & Thoring, K. (2012). Design thinking vs. lean startup: A comparison of two user-driven inno-vation strategies. Leadingthrough design, 151.• Eisenmann, T. R., Ries, E., & Dillard, S. (2012). Hypothesis-driven entrepreneurship: The lean startup.• Fu, B., Lin, J., Li, L., Faloutsos, C., Hong, J., & Sadeh, N. (2013, August). Why people hate your app: Making sense of user feedback in amobile app store.
Língua Português
Data da última atualização: 2014-08-07
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.