IV Ciclo de Conferências Biomédicas à Tarde

Faculdade   22 de maio de 2019

O BioMedUBI – Núcleo de Estudantes de Ciências Biomédicas da UBI, organizou conferências com o intuito de dar a conhecer investigadores de elevado mérito aos alunos e ajudá-los na escolha do mestrado.

Img:

Nuno Azevedo, investigador no Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho foi o primeiro orador deste evento que decorreu no dia 15 de maio, na Faculdade de Ciências da Saúde. O seu estudo centra-se no desenvolvimento de novas estratégias para o controlo da formação de biofilmes (comunidades biológicas com um elevado grau de organização, onde as bactérias formam as suas comunidades estruturadas, coordenadas e funcionais), nomeadamente novas terapias que diminuam a criação destas comunidades biológicas. Essas terapias podem ser naturais, utilizando extratos de algas, plantas e até mel, ou artificiais, como é o caso da terapia antisense, que procura o desenvolvimento de moléculas com o objetivo de bloquear a ação de biofilmes.

Cátia Vaz foi a segunda convidada a participar nesta conferência. Investigadora doutorada no Centro de Investigação em Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (CICS-UBI), canalizou a sua investigação e estudos para a oncobiologia, nomeadamente para o cancro da próstata e correspondentes alterações metabólicas. “O objetivo é tentar perceber que alterações metabólicas ocorrem durante o desenvolvimento do tumor e tentar arranjar terapias específicas para as mesmas”, esclarece a investigadora. Como membro do projeto “ProMETAB - Fatores extrínsecos na modulação do metabolismo da próstata: aplicações na prevenção, diagnóstico e tratamento do cancro”, liderado por Sílvia Socorro e com Ana Paula Duarte como co-investigadora principal, Cátia Vaz e toda a equipa procuram caracterizar alterações energéticas subjacentes ao desenvolvimento dos cancros da próstata mais agressivos e associados à obesidade, assim como identificar alguns fatores que possam atuar como agentes protetores.

“Como núcleo, achamos que este tipo de conferências é muito importante para dinamizar as várias vertentes do nosso curso e para ajudar os nossos finalistas a escolher um mestrado”, refere Ana Vale, aluna do curso de Ciências Biomédicas e membro do BioMedUBI, quando questionada acerca das vantagens deste tipo de iniciativas. Por que este é um curso multidisciplinar, há o cuidado de convidar oradores e especialistas ligados tanto à Engenharia como à Saúde para “dar a conhecer aos estudantes todas as vertentes do curso”, conclui.

Este ciclo de conferências teve o seu primeiro evento a 11 de abril e contou com dois oradores das áreas de Genética e de Bioinformática.

in: urbietorbi

As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação que permitem a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.