Ciência Política e Relações Internacionais

1º Ciclo     Departamento de Sociologia

Plano de Estudos/Ramos   Ciência Política e Relações Internacionais
  Ciência Política e Relações Internacionais: Ramo Relações Internacionais
  Ciência Política e Relações Internacionais: Ramo Ciência Política
Código DGES
9020  
Área CNAEF 313
Publicação em Diário da República Despacho n.º 15876/2012 - DR 2.ª Série, n.º 240, 12 dezembro
Avaliação/Acreditação/Registo Acreditação A3ES, 06-10-2014
Registo DGES R/A-Ef 1300/2011, 18-03-2011
Regime de Estudos Diurno
ECTS 180
Outras Informações Informação estatística

Concurso Nacional de Acesso  

Sobre

Objetivos Gerais A licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais tem como objectivos:
a) Fornecer uma abordagem interdisciplinar sobre questões centrais da Ciência Política e Relações Internacionais relacionadas com:
- os interfaces existentes entre os níveis de análise nacional, internacional e global;
- as interacções de ideias, cidadãos e instituições e a tomada de decisão das organizações e das comunidades, num contexto internacional; e
- temáticas do desenvolvimento internacional e global como conflitos, segurança, instituições internacionais, movimentos sociais, economia política internacional, intervenções humanitárias e desenvolvimento sustentável;
b)Fornecer uma compreensão adequada:
- nos domínios da teoria, análise, técnicas e questões empíricas; e
- das correntes intelectuais que descrevem, explicam e avaliam os mecanismos que orientam o comportamento dos actores e das políticas, nos sectores governamental, mercado e sociedade;
c)Desenvolver capacidades de pensamento crítico, de elaboração e defesa de argumentos e de avaliação de perspectivas teóricas e metodológicas sustentadas em diferentes àreas científicas, nomeadamente: Ciência Política, Relações Internacionais, Sociologia, Economia, História, Geografia, Direito e Humanidades, adequadas ao nível de desempenho expectável de um primeiro ciclo da formação;
d)Desenvolver capacidades de utilização de fontes de informação e de bases de dados disponibilizadas por organizações sectoriais, nacionais e internacionais, nomeadamente de identificação e selecção de fontes e informação relevantes e de uso de métodos de análise quantitativa e qualitativa;
e)Relacionar o desenvolvimento de capacidades de compreensão, intelectuais, técnicas e de transferibilidade com informação empírica e a resolução de problemas, assim como com o desempenho de comunicação de conhecimentos e de resultados de investigação a audiências diferenciadas; e
f)Criar um ambiente de aprendizagem que estimule os alunos a realizar todo o seu potencial, a participar em ambientes interdisciplinares e interculturais e a assumir ao longo da vida responsabilidades éticas, profissionais e sociais.
Competências Para concluir, com sucesso, a licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais, o aluno:
- Demonstra compreensão quanto à natureza e significado da evolução do sistema internacional e das mudanças globais como fenómeno da actividade humana;
- Revela conhecimento e compreensão de intrumentos conceptuais e analíticos básicos sobre questões da Ciência Política e Relações Internacionais com origem na teoria das relações internacionais, teoria da política internacional, filosofia política, sociologia política e do desenvolvimento, economia política internacional, direito internacional, organizações internacionais e experiências de integração económica e política regional;
- Aplica diferentes conceitos, teorias e métodos à análise de questões teóricas e práticas relacionadas com a história, estrutura e evolução das diferentes áreas do sistema internacional e da sociedade global e reconhece limites à sua aplicação;
- Elabora argumentos lógicos e racionais, sustenta a sua defesa e desenvolve pensamento crítico;
- Identifica, recolhe, avalia e operacionaliza informação relevante com origem em fontes primárias e secundárias e procede à sua aplicação na solução de problemas, com recurso a métodos de análise quantitativa e qualitativa;
- Revela autonomia, demonstra iniciativa e capacidade de organização;
- Reflecte capacidade de reflexão sobre o seu processo de aprendizagem e acolhe críticas construtivas;
- Desenvolve trabalho colaborativo, partilhando ideias e responsabilidades;
- Demonstra literacia de comunicação, oral e escrita, capacidade de comunicação de informação quantitativa e qualitativa a públicos diferenciados e usa adequadamente tecnologias de informação;
- Revela uma perspectiva internacional: partilha de um pensamento global, considera a análise histórica e comparativa, reconhece a importância das questões interculturais e das interacções do local ao global; e
- Integra capacidades de conhecimento, compreensão, intelectuais e de tranferibilidade adquiridas na problematização de questões e na formulação de soluções aplicáveis aos contextos académicos e/ou profissionais.
Saídas Profissionais A licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais é acolhida por uma significativa diversidade de percursos profissionais, nos sectores público e privado e governamental e não governamental, bem como em diversos tipos de organizações, desde os serviços de diplomacia governamentais a serviços externos de empresas industriais e financeiras e autarquias.

Destacam-se os seguintes empregadores potenciais:

Instituições da administração pública a nível regional e nacional;
Instituições da União Europeia (Conselho, Parlamento, Comissão e seus serviços de apoio);
Organizações governamentais internacionais e organizações não governamentais (ONG), nomeadamente as que operam nos domínios da educação, da saúde, do ambiente, da ajuda humanitária, da cooperação comercial, tecnológica e cultural e do desenvolvimento internacional;
Sector empresarial do Estado e institutos públicos;
Empresas privadas e associações empresariais;
Instituições de carácter político, nomeadamente partidos políticos ou organizações representativas de interesses;
Instituições de ensino; e
Comunicação social.
Infraestruturas Como estruturas de apoio, os alunos de Ciência Política e Relações Internacionais dispõem, entre outras, de:
Biblioteca Central da UBI (200 postos de trabalho informático, aberta das 9 às 23 horas);
Biblioteca e recursos on-line (entre outros, B-on disponibiliza e-books e periódicos com acesso a resumos e a texto integral, acesso a bases de dados e estatísticas do INE);
Biblioteca da Unidade de Ciências Sociais e Humanas, Pólo IV ;
Biblioteca da Unidade de I&D Instituto de Filosofia Prática;
Centro de Documentação Europeia (Biblioteca Central);
Laboratório de Línguas;
Centros Informáticos (dois centros; um dos quais aberto 24 horas);
moodle (plataforma e-Learning: disponibiliza conteúdos digitais e assegura a interacção docente-aluno e aluno-aluno 24 horas x 365 dias);.
Serviços digitais: rede (por cabo e wireless, interna e externa) e acesso permanente à Internet (com correio electrónico, telnet e www).
Normas e Regulamentos Normas Gerais Referentes a Atos Administrativos
Regras Gerais de Avaliação de Conhecimentos

Responsáveis

Diretor de Curso
José António Campelo de Sousa Amaral
Sem Fotografia
Coordenador de Mobilidade
Luis Filipe da Silva Madeira

Departamento de Sociologia

Estrada do Sineiro, 6200-209 Covilhã
275 329 165
4120
Nota: A informação contida nesta página não dispensa a consulta dos documentos oficiais. Data da última atualização: 2014-08-07

As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.