Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Cinema
  4. Novos Cinemas

Novos Cinemas

Código 13592
Ano 1
Semestre S1
Créditos ECTS 6
Carga Horária OT(15H)/TP(45H)
Área Científica Cinema
Tipo de ensino Presencial.
Estágios Não aplicável.
Objectivos de Aprendizagem Esta Unidade Curricular tem como objetivos gerais aprofundar conhecimentos teóricos e práticos sobre vídeo-arte, performance e instalação, enquadrados na especificidade, hibridez e experimentação dos meios electrónicos e digitais. Nesta Unidade Curricular o estudante deve adquirir conhecimentos teóricos sobre a era da imagem electrónica e digital, do ponto de vista da sua história, da sua tecnologia e da sua estética; deve saber enquadrar os novos cinemas dentro da especificidade e hibridez do vídeo; deve desenvolver conhecimentos teóricos e práticos sobre a vídeo-arte, a instalação, a performance e os novos meios, privilegiando a sua dimensão experimental; deve saber conceber e realizar uma, ou duas, obras de vídeo-arte que demonstrem auto-reflexivamente os conhecimentos adquiridos ou saber fazer um trabalho de investigação sobre um dos temas propostos.
Conteúdos programáticos 1 – Vídeo: Especificidade tecnológica num contexto de múltipla determinação.
2 – Modelos e Genealogias para a teoria e prática da Vídeo-Arte.
3 – Temporalidade.
4 – Paradigmas da Vídeo-Arte.
5 – Performance, Instalação e Novos Meios.
6 - Visionamento e discussão de exemplos.
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação Metodologias de Ensino:
1 - Exposição Teórica de conteúdos programáticos
2 - Visionamento e Discussão de exemplos
3 - Acompanhamento dos trabalhos
4 - Apresentação e discussão dos trabalhos

Avaliação:
1 – Concepção de uma obra de vídeo-arte / cinema experimental, não-narrativa, com justificação
alargada dos processos e intenções (4 págs) / ou trabalho de investigação com cerca de 8 a 10 págs.
sobre um tema a discutir com o docente: 45%
2 - Concepção de uma obra de vídeo-arte / cinema experimental, não-narrativa, com justificação
alargada dos processos e intenções (4 págs): 45%
3 – Assiduidade e Participação: 10% (Assiduidade Mínima: 60%)
Exame: Melhoria ou nota negativa em frequência - Concepção de uma obra de vídeo-arte / cinema
experimental, não-narrativa, com justificação alargada dos processos e intenções / ou trabalho de
investigação com cerca de 10 a 15 págs sobre um tema a discutir com o docente.
Bibliografia principal Diogo, Vasco, (2008) Vídeo: Especificidade, Hibridez e Experimentação, Tese de Doutoramento em
Ciências da Comunicação, Universidade Nova de Lisboa
Elwes, Catherine (2005). Video Art. A Guided Tour. Londres: I.B. Tauris.
Hall, Doug e Jo Fifer, Sally (editors) (1990), Illuminating Video – An Essential Guide to Video Art,
APERTURE/BAVC
Meigh-Andrews, Chris (2006). A History of Video Art. 2.a edição. Nova Iorque: Bloomsbury.
Kaye, Nick (2007). Multi-Media: Video, Installation, Performance. Londres: Routledge.
http://vjlabor.blogspot.pt
https://vimeo.com/vascodiogo
Língua Português
Data da última atualização: 2018-07-05
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.