Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Notícias
  3. Equipa da UBI ganha competição no Chipre

Equipa da UBI ganha competição no Chipre

  2017-09-15       UBI     UBI

Img:

Os cinco estudantes apresentaram o VIRUSCAN, a melhor ideia de negócio desenvolvida entre participantes de oito países da Europa.

A competição final do projeto SCIENT – Entrepreneurship Academy & Business Competition foi ganha por estudantes da Universidade da Beira Interior (UBI), suplantando equipas provenientes de instituições de Ensino Superior de oito países da Europa. Os cinco alunos de mestrado e doutoramento fizeram toda a formação inicial da UBI, nas áreas da Biotecnologia e Ciências Biomédicas, e convenceram o júri com um projeto da área da saúde.
 
Designado de VIRUSCAN - Sensor para a deteção de vírus foi desenvolvido por três estudantes de doutoramento em Bioquímica (Filipa Pires, Sónia Miguel e André Moreira), de doutoramento em Biomedicina (Josué Carvalho) e do mestrado em Biotecnologia (João Boga). Estes elementos trabalharam durante o Programa de Formação em competências empreendedoras no plano de negócios para fazer chegar ao mercado um sensor para deteção viral. Este dispositivo pode ser usado como um método de rastreio, permitindo o diagnóstico económico, simples e rápido de uma determinada infeção viral.
 
O VIRUSCAN foi o melhor projeto apresentado nesta competição, que teve lugar no Chipre, na cidade de Nicosia, entre os dias 11 e 14 de setembro. Decorreu inserida no projeto SCIENT, que começou em 2015 e termina no final deste ano.
 
O projeto teve financiamento do ERASMUS+ Knowledge Alliance e resultou de uma parceria entre 15 entidades de Portugal, Chipre, Inglaterra, Alemanha, Itália, Espanha, Lituânia e Malta. Estiveram envolvidos professores, investigadores, empresários e outros stakeholders de diferentes países e origens, para compartilhar a sua visão e pensamentos acerca do modo de criar uma Europa do conhecimento mais dinâmica e mais empreendedora, fazendo a ponte entre a investigação desenvolvida nas Universidades e o mercado.
 
Para alcançar esse objetivo foi desenvolvido um acelerador de competências empreendedoras para catalisar o surgimento de empreendedores científicos de sucesso. Neste contexto foram escolhidos como alvo de análise os estudantes e graduados das áreas de Ciências, Tecnologias, Engenharia e Matemática (STEM). As atividades desenvolvidas centraram-se na análise da perceção/visão dos estudantes STEM sobre a problemática; visita a várias instituições europeias de prestígio (universidades, centros de aceleração, centros tecnológicos, incubadoras, parques de ciência e tecnologia); benchmarking das melhores práticas dos países no Norte da Europa; e criação de um programa de formação em competências empreendedoras.

Partilhar

Data da última atualização: 2017-09-15
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.