Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Universidade
  3. História e Símbolos

História e Símbolos

Img:

Os primeiros passos a caminho do que hoje é a Universidade da Beira Interior (UBI) foram dados na década de 70, quando nasceu o Instituto Politécnico da Covilhã (IPC), em 1973. A cidade, outrora considerada a "Manchester portuguesa" pela longa tradição, dinâmica e qualidade dos seus lanifícios, foi atingida, nessa década, por uma crise ao nível da indústria: grandes e pequenas fábricas começam a revelar debilidades graves que levariam ao seu encerramento, com consequências sociais e económicas desastrosas para a região.

Foi neste panorama e no âmbito das atividades do grupo de trabalho para o Planeamento Regional da Cova da Beira, que surgiu a ideia de criar na região uma instituição de ensino superior, de forma a facultar aos seus naturais a possibilidade de prosseguirem os estudos pós-secundários sem que, para isso, tivessem de se deslocar para outros pontos do país, a maioria das vezes a título definitivo. Assim, na sequência da publicação do Decreto-Lei 402/73, de 11 de agosto , no quadro da chamada "Reforma Veiga Simão", que deu origem à expansão e diversificação do Ensino Superior, foi criado o IPC, presidido pelo Dr. Duarte Cordeiro de Almeida Simões, que recebeu, em 1975, os seus primeiros 143 alunos, nos cursos de Engenharia Têxtil e Administração e Contabilidade. Em julho de 1979, seis anos passados, a instituição converte-se em Instituto Universitário da Beira Interior (IUBI) (Lei 44/79, de 11 de setembro).

A conversão do IUBI veio a acontecer em 1986 (Decreto-Lei 76-B/86, de 30 de abril), tendo as áreas de expansão e proteção dos polos I, II e III sido regulamentadas através do Decreto do Governo n.º33/87, de 2 de novembro. O Polo IV surgiu posteriormente, em 1996, acolhendo cursos de Ciências Sociais e Humanas.

O primeiro Reitor da UBI foi o Prof. Doutor Cândido Manuel Passos Morgado, que se manteria no cargo entre 21 de agosto de 1980 e 19 de janeiro de 1996, data em que assume funções como Reitor o Prof. Doutor Manuel José dos Santos Silva , que se mantém no cargo até 19 de junho de 2009. Nesta data toma posse como terceiro Reitor da instituição o Prof. Doutor João António de Sampaio Rodrigues Queiroz. O atual Reitor é o Prof. Doutor António Fidalgo, que tomou posse a 5 de setembro de 2013.

Os Estatutos da UBI foram revistos em conformidade com o Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (Lei 62/2007, de 10 de setembro).

Uma das características físicas mais interessantes da UBI resulta da recuperação de antigos edifícios, de elevado valor histórico, cultural e arquitetónico. Ao mesmo tempo que se preservam marcos históricos da cidade, estes são revitalizados em espaços vocacionados para o ensino e a investigação.

A edificação do IPC havia começado através da recuperação das anteriores instalações do quartel do Batalhão de Caçadores 2, instalado na pombalina Real Fábrica dos Panos, localizada num dos núcleos tradicionais de concentração fabril na Covilhã, junto à Ribeira da Degoldra. Durante as obras de reconversão, em 1975, foram descobertas, soterradas, estruturas arqueológicas que pertenciam às tinturarias da Real Fábrica dos Panos, uma importante manufatura de lanifícios, mandada construir, no século XVIII, pelo Marquês de Pombal. Após duas campanhas de intervenção arqueológica e uma ampla investigação, seria criada a estrutura que daria lugar ao primeiro núcleo do Museu de Lanifícios da UBI, aberto ao público em 1996.

Assim, as antigas edificações fabris localizadas na entrada Sul da Covilhã (Polo I) tornaram-se, quase naturalmente, não só uma solução lógica e de continuidade no que respeita à expansão física da universidade, mas uma opção que resultou num enorme benefício para a cidade, em termos urbanísticos e de impacto ambiental, através da recuperação de edifícios abandonados ou em ruínas que constituíam parte significativa do património industrial covilhanense, fazendo da UBI um caso único na universidade portuguesa.

Na década de 90, optar-se-ia por expandir a Universidade para o extremo Norte da cidade, junto à Ribeira da Carpinteira (Polo IV). Em 2006, concluiu-se a construção da Faculdade de Ciências da Saúde, no Polo III, cumprindo-se, assim, o programa de instalação das infraestruturas do curso de Medicina, ministrado a partir de 2001/2002.

Actualmente, a UBI acolhe mais de 6 mil alunos, distribuídos por cinco faculdades – Artes e Letras, Ciências, Ciências da Saúde, Ciências Sociais e Humanas, Engenharia – com uma oferta formativa adequada a Bolonha e estruturas laboratoriais e de investigação de apoio ao ensino e com fortes ligações à sociedade e ao mundo empresarial.

Data da última atualização: 22-04-2016
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.