Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Estudos de Cultura
  4. Teorias da Cultura I

Teorias da Cultura I

Código 13007
Ano 1
Semestre S1
Créditos ECTS 6
Carga Horária OT(15H)/TP(45H)
Área Científica Cultura
Tipo de ensino Presencial.
Objectivos de Aprendizagem Nesta UC pretende-se que o estudante aprenda as principais teorias da cultura.
No final desta UC, o estudante deve ser capaz de:
1-Compreender as ideias básicas e os conceitos operatórios para uma abordagem teórica e crítica dos fenómenos culturais;
2- identificar, contextualizar, relacionar e comunicar bens e actividades culturais;
3-Analisar e avaliar a produção e o consumo de cultura como elementos essenciais das sociedades contemporâneas;
4- Expressar ideias de forma fundamentada, recorrendo à comunicação oral e escrita;
5-Exercitar o sentido crítico.
Conteúdos programáticos 1. Génese e evolução do conceito de cultura.
a- A concepção humanística, subjectiva-activa de cultura
b- A concepção científica, objectiva-passiva de cultura

2. Conceitos balizadores de cultura: civilização, religião, história, arte, literatura, comunicação, técnica, natureza.

3. Cultura e culturas. Unidade e diversidade cultural.
a) Contextos culturais e estudos culturais;
b) Alta cultura e cultura popular;
c) Cultura de massas e indústrias culturais;
e) Culturas marginais e contra-culturas;
e) Choque e hibridação de culturas.

4. Teorias da Cultura
a) Teoria Antropológica (Tylor, Malinovski)
b) Teoria Sociológica (Marx, R. Williams)
c) Teoria Psicanalítica (Freud, Marcuse)
d) Teoria Semiótica (Geertz).
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação Métodos e Critérios de Avaliação

PT

Os discentes serão avaliados por duas Frequências com o valor de 40% cada. A segunda frequência consiste num trabalho individual com a mesma ponderação (6 páginas seguidas por uma pequena apresentação)

20% destinam-se a apresentação e discussão da recensão escrita de 1 texto escolhido por cada aluno. (1,5 páginas)


A presença nas aulas é obrigatória para obter frequência (acesso a Exame).

A assiduidade obrigatória não é aplicada aos Estudantes- Trabalhadores.

Os Estudantes Erasmus que não tenham competências consolidadas em Português, podem fazer um trabalho em Inglês.

ENG

The students will be assessed by two moments with the weight of 40% each. One of this moments will be a test and the other an individual work of six pages followed by a short presentation.
The remaining 20% will be assessed with: the presentation of a written review of 1,5 page and the discussion of one classical text on the subject chosen by the student.

The presence in classes is mandatory, with the exception of working students. Erasmus Students without sufficient skills in the Portuguese language may present their written work in English.

Bibliografia principal
Adorno, T., & Horkehimer, M. (2002). O iluminismo como mistificação das massas. In J. B. Almeida (Ed.), Indústria Cultural e Sociedade (pp. 5–44). Rio de Janeiro, Brasil: Edição Paz e Terra.
Antunes, M. A. (1967). História da Cultura Clássica. Lisboa, Portugal: Faculdade de Letras.
Arnol, M. (1969). Culture and Anarchy. London, U.K.: Smith, Elder and Co.
Barata Moura, J. (2008). O Mundo de Múltiplas Vozes. In ORG. Academia Internacional de Língua Portuguesa (Ed.), Estudos sobre a globalização da sociedade civi (pp. 5–44). Lisboa, Portugal: Academia Internacional de Língua Portuguesa.
Bauman, Z. (1980). O papel da cultura nas ciências sociais. Porto Alegre, Brasil: Editorial Vila Martha.
Bauman, Z. (1998). Ensaios sobre o Conceito de cultura. Rio de Janeiro, Brasil: Zahar editora.
Bauman, Z. (1999). Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro, Brasil: Zahar editora.
Benjamin, W. (1987). A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica. In S. Rouanet (Ed.), Estudos sobre a globalização da sociedade civi (pp. 132–176). São Paulo, Brasil: Brasiliente.
Bourdieu, P. (2007). A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo, Brasil: Perspectiva.
Eliot, T. S. (1992). Ensaios Escolhidos. Lisboa, Portugal: Cotovia.
Freud, S. (2008). O Mal-Estar na Civilização. Lisboa, Portugal: Relógio d' Água.
Geertz, C. (2008). A Interpretação da Cultura. Rio de Janeiro, Brasil: Zahar.
Huntington, S. P. (2001). O Choque das civilizações e a mudança na ordem mundial. Lisboa, Portugal: Gradiva.
Malinowski,, B. (1975). Teoria Científica da Cultura,. Rio de Janeiro, Brasil: Zahar.
Marcuse, H. (1975). EROS E CIVILIZAÇÃO Uma Interpretação Filosófica do Pensamento de Freud. Rio de Janeiro, Brasil: Zahar Editora.
Tylor, E. (1977). Cultura primitiva., volume 1- Los Origenes de la cultura. Madrid, España: Editorial Ayuso.
Williams, R. (1993). Culture and Society. London, UK: The Hogarth Press.
Introduction
Língua Português
Data da última atualização: 2017-03-09
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.