Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Cinema
  4. História e Estética do Cinema Português

História e Estética do Cinema Português

Código 13106
Ano 3
Semestre S1
Créditos ECTS 6
Carga Horária OT(15H)/TP(45H)
Área Científica Cinema
Tipo de ensino Presencial
Estágios Não se aplica.
Objectivos de Aprendizagem Esta Unidade Curricular tem como objectivo fazer uma introdução ao estudo do cinema português, articulando a vertente retrospectiva sobre os vários momentos históricos e respectivas propostas estéticas com a visão prospectiva de um seu futuro possível, assente no trabalho de pesquisa, análise, crítica e reflexão. No final, o/a estudante deve ter adquirido conhecimentos sistemáticos sobre cinema
português e ser capaz de exercer um juízo crítico, devidamente fundamentado, sobre o trabalho dos seus realizadores, realizadoras e outros intervenientes no sector, podendo pronunciar-se e discutir com segurança sobre a história do cinema português, sobre questões de natureza cinematográfica, artística ou estética, mas também de teor social, económico, ou sobre questões de natureza política ou mesmo legal que se podem colocar.
Conteúdos programáticos As primeiras décadas:
1) Os primeiros anos de cinema em Portugal: as primeiras sessões, o conteúdo dos primeiros filmes e a importância de Aurélio da Paz dos Reis;
2) Os anos 20 e a influência das vanguardas europeias: Rino Lupo, Roger Lion, Georges Pallu e Maurice Mariaud;
3) Os filmes de fotógrafos e a ideia de um cinema “tipicamente português”.

Anos 30 e 40:
1) O experimentalismo de Jorge Brum do Canto, Manoel de Oliveira e Leitão de Barros;
2) A transição do cinema mudo para o sonoro;
3) António Lopes Ribeiro: o cineasta oficial do salazarismo;
4) António Ferro e o debate em torno da comédia portuguesa.

Anos 50 e 60:
1) Institucionalização do cineclubismo;
2) O neorealismo no Cinema;
3) O Novo Cinema Português.

Anos 70 e 80:
1) A urgência de filmar em democracia: a importância do documentário;
2) A eterna dicotomia: cinema de autor versus cinema comercial.

Anos 90 e o século XXI:
1) Estabilidade e diversificação;
2) A adolescência no cinema português e o questionamento dos caminhos da liberdade;
3) Os novos desafios e a nova geração de cineastas portugueses.
Metodologias de Ensino e Critérios de Avaliação - Apresentação de uma das obras da filmografia obrigatória e redacção de um trabalho de análise, em grupo, sobre a mesma: 35% da nota final;
- Trabalho escrito sobre um filme, realizador ou movimento artístico; OU frequência sobre os conteúdos programáticos: 55% da nota final;
- Assiduidade: 10% da nota final.
Bibliografia principal BAPTISTA, Tiago (2008). A invenção do cinema português. Lisboa: Tinta da China.
COSTA, João Bénard da (1991). Histórias do cinema. Lisboa: Europália / INCM.
CUNHA, Paulo e SALLES, Michelle (Orgs.), (2013). Cinema português: Um guia essencial. São Paulo: SESI-SP editora.
FERREIRA, Carolin Overhoff (Org.), (2007). O cinema português através dos seus filmes. Porto: Campo das Letras.
GRILO, João Mário (2006). O cinema da não-ilusão: histórias para o cinema português. Lisboa: Livros Horizonte.
MENDES, João Maria (Org.) (2010). Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo. Lisboa: Escola Superior de Teatro
e Cinema. URL: http://pwp.net.ipl.pt/sc/gportela/livro.pdf
PEREIRA, Ana Catarina e CUNHA, Tito Cardoso (Orgs.), (2013). Geração invisível: Os novos cineastas portugueses. Covilhã: LabCom
Books. URL: http://www.livroslabcom.ubi.pt/book/100
PEREIRA, Ana Catarina (2016). A mulher-cineasta: Da arte pela arte a uma estética da diferenciação. Covilhã: LabCom Books. URL:
http://labcom-ifp.ubi.pt/livro/256
PINA, Luís de (1986). História do cinema português. Mem Martins: Europa – América.
Língua Português
Data da última atualização: 2017-06-20
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.