Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Cursos
  3. Ciências da Comunicação
  4. Retórica

Retórica

Código 11730
Ano 2
Semestre S2
Créditos ECTS 6
Carga Horária OT(15H)/TP(45H)
Área Científica Ciências da Comunicação
Tipo de ensino Presencial
Estágios Não se aplica.
Objetivos Gerais e Resultados de Aprendizagem Nesta unidade curricular pretende-se que os alunos conheçam os fundamentos e técnicas da arte retórica e desenvolvam a sua capacidade retórica.
No final desta UC o aluno deve ser capaz de:
i) Caracterizar a retórica clássica e as suas técnicas;
ii) Analisar a retórica dos novos meios de comunicação;
iii) Demonstrar competência retórica nas diversas facetas do discurso público.
Conteúdos / Programa 1. O desenvolvimento histórico da retórica.
1.1. A democracia grega e a génese da retórica; retórica e cidadania.
1.2. A teorização clássica da disciplina: os diferentes tipos de retórica e respetivas técnicas. Análise de alguns exemplos.
1.3. A crítica platónica da retórica como paradigma.
1.4. O renascer da retórica na segunda metade do século XX: a “nova retórica”.
2. A retórica nas sociedades mediatizadas.
2.1. Da retórica presencial à retórica mediatizada. Análise de alguns exemplos.
2.2. Retórica e indústrias da persuasão.
2.3. A retórica da imagem.
2.4. Retórica e tecnologia.
3. A arte de argumentar (aplicação).

Bibliografia / Fontes de Informação Aristóteles (1998). Retórica. Lisboa: IN-CM.
Barthes, R. (1990). A retórica da imagem. In: O óbvio e o obtuso (pp. 27-43). Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
Barthes, R. (1987). A retórica antiga. Memorandum. In: A aventura semiológica (pp. 19-91). Lisboa: Edições 70.
Carrilho, M. M. (Org,) (1994). Retórica e comunicação. Lisboa: Asa.
Cunha, T. C. (1998). A Nova Retórica de Perelman. Biblioteca On-line de Ciências da Comunicação. Disponível em: www.bocc.ubi.pt/pag/cunha-tito-Nova-Retorica-Perelman.pdf
Fidalgo, A. (2008). Definição de retórica e cultura grega. Biblioteca On-line de Ciências da Comunicação. Disponível em: www.bocc.ubi.pt/pag/fidalgo-antonio-retorica-cultura-grega.pdf
Fidalgo, A. (2010). Da retórica às indústrias da persuasão. In: I. Ferreira e G. Gonçalves (Org.), Retórica e mediatização: as indústrias da persuasão (pp. 5-25). Covilhã: Livros Labcom.
Fidalgo, A. e Ferreira, I. (2005). A retórica mediatizada. Revista de Comunicação e Linguagens, 36, 151-160.
Fogg, B. J. (2002). Persuasive technology. San Francisco, CA: Morgan Kaufmann.
Mateus, S. (2016). Pode uma imagem ser um argumento? Famecos (Online), 23 (2), 17 pp.. DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2016.2.21445
Meyer, M., & Carrilho, M. M., & Timmermans, B. (2002). História da retórica. Lisboa: Temas e Debates.
Perelman, C. (1993). O império retórico. Porto: Edições Asa.
Platão (1973). Górgias, O Banquete, Fedro. Lisboa: Verbo.
Reboul, O. (2004). Introdução à retórica. S. Paulo: Martins Fontes.
Serra, P. (2009). Persuasão e propaganda: os limites da retórica na sociedade mediatizada. Comunicação e Sociedade, 16, 85-100.
Sousa, A. (2001). A persuasão. Covilhã: UBI.
Todorov, T. (1979). Esplendor e miséria da retórica e Fim da retórica. In: Teorias do símbolo (pp.55-123). Lisboa: Edições 70.
Toulmin, S. (1958). The uses of argument. Cambridge: Cambridge University Press.
Weston, A. (1996). A arte de argumentar. Lisboa: Gradiva.

Actividades de Ensino-Aprendizagem e Metodologias Pedagógicas A metodologia de ensino-aprendizagem incluirá as seguintes atividades: explicações pontuais do docente (conteúdos mais teóricos); leitura e comentário de textos; trabalho em grupo na sala de aula; sessões tutoriais com cada um dos estudantes; apresentação e discussão de trabalhos elaborados pelos estudantes nas aulas e fora delas.
Métodos e Critérios de Avaliação I. Classificação de Frequência
1. Será a resultante dos seguintes elementos de avaliação, com o peso que se indica:
a) Relatório individual de um filme – 2 valores (10%);
b) 2 testes - 5 valores cada (25%x2);
c) Trabalho de grupo – 8 valores (40%).
2. Consideram-se aprovados na Frequência os alunos que, no conjunto dos diversos elementos de avaliação, tenham obtido classificação igual ou superior a 10 (dez) valores.

II. Admissão a exame
a) Alunos que tenham obtido Classificação de Frequência igual ou superior a 6 (seis) valores;
b) Alunos que, tendo obtido Classificação de Frequência igual ou superior a 10 (dez) valores, queiram melhorar a sua classificação.
Língua Português
Data da última atualização: 2015-04-14
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.