Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Eventos
  3. Aula-Aberta “Cronobiologia: A Ciência que estuda os relógios biológicos”

Aula-Aberta “Cronobiologia: A Ciência que estuda os relógios biológicos”

A sessão realiza-se na Sala 7.08, a partir das 14h30.

  6 de dezembro de 2019  

John Fontenele Araújo, Professor Titular de Cronobiologia do Departamento de Fisiologia e Comportamento da Universidade Federal do Rio Grande Norte, Natal, Brasil, ministra a Aula-Aberta “Cronobiologia: A Ciência que estuda os relógios biológicos” no dia 6 de dezembro (sexta-feira), pelas 14h30, na Sala 7.08, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade da Beira Interior.

A Aula-Aberta é promovida no âmbito da unidade curricular “Temas Contemporâneos da Educação” do 3.º Ciclo/Doutoramento em Educação.

Sinopse
O Prémio Nobel da Medicina/Fisiologia (2017), atribuído a três investigadores americanos pela investigação em mecanismos moleculares do controlo da ritmicidade circadiana, representa um grande reconhecimento da Cronobiologia enquanto disciplina científica nova. Tendo a sua origem nos anos 60, esta disciplina estuda os mecanismos que geram os ritmos biológicos e sua importância na fisiologia e expressão do comportamento. O ritmo circadiano mais proeminente é o ciclo sono-vigília, cuja regularidade é fundamental para a saúde física e mental dos humanos. De facto, em diversas situações (ex.: trabalho por turnos, voos meridianos, sono irregular), há comprometimento cognitivo e perturbações metabólicas. Estas consequências são particularmente relevantes na adolescência, pois ocorre naturalmente um atraso na fase do ciclo sono-vigília, levando os jovens a dormirem mais tarde, sendo esse atraso agravado pela elevada exposição à luz de dispositivos eletrónicos que induz um atraso no início do sono. Desfasados do ciclo biológico dos adolescentes, os horários escolares destes jovens mantêm-se no período da manhã e muito cedo, pelo que há um despertar precoce que é responsável pela sonolência diurna observada, tendo consequências negativas no processo de aprendizagem. Neste âmbito, há evidências experimentais apontando para a importância de uma ritmicidade circadiana regular nos estados de humor, sendo que a irregularidade do ciclo sono-vigília está relacionada com o aumento da depressão e ideação suicida. Estas evidências, associadas à demonstração de diferenças individuais na alocação temporal da fase do sono (cronotipo) têm levado muitos investigadores a proporem alteração nos horários de início das atividades dos adolescentes, o que implica alterações na organização da sociedade.

Nota biográfica
John Fontenele Araújo, graduado em Medicina e doutorado em Psicologia (área de concentração Neurociência e Comportamento) pela Universidade de São Paulo – USP, é Professor titular de Cronobiologia do Departamento de Fisiologia e Comportamento da Universidade Federal do Rio Grande Norte, Natal - Brasil e pesquisador do CNPq - Brasil. Atualmente está como pesquisador visitante do Instituto de Telecomunicações do Instituto Técnico Superior de Lisboa.
Pesquisa sobre a fisiologia do Sistema de Temporização Circadiano, sobre o papel da ritmicidade biológica na memória e emoções, destacando o papel do sono na aprendizagem na nas desordens afetivas. Estas pesquisas são realizadas em forte colaboração com a área clínica, em especial com a Neurologia e a Psicologia. Além disso, trabalha com o desenvolvimento de ferramentas matemáticas e eletrônicas para o registro e análises para uso em pesquisa na Cronobiologia.

Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

Data última atualização: 2019-11-27

Data da última atualização: 2019-11-27
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.