Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Notícias
  3. Centros académicos clínicos das Beiras e Algarve iniciam cooperação

Centros académicos clínicos das Beiras e Algarve iniciam cooperação

  3 de dezembro de 2018  

Img:

O protocolo tem por objetivo articular as atividades das duas entidades em aspetos como a formação de profissionais e a investigação na área da saúde.

O Centro Académico Clínico das Beiras (CACB) e a entidade congénere do Algarve vão trabalhar em conjunto para desenvolver atividades de investigação que criem estudos e ensaios com maior robustez, para formar profissionais de saúde de várias áreas e para melhorar os cuidados de saúde prestados às populações.

O CACB, que está sediado na Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (FCS-UBI), e o ABC - Algarve Biomedical Center assinaram na sexta-feira, dia 30 de novembro, o protocolo que define esta cooperação, tendo por base a ideia de que cumprirão melhor as suas missões se ganharem uma maior escala, além de terem características comuns.  

“Nós temos um percurso de vários meses de colaboração não oficial com o ABC. Partilhamos muitas preocupações porque estamos mais afastados dos grandes centros metropolitanos e, portanto, acabamos por ter algumas preocupações alinhadas. Com este protocolo, podemos ter uma política integrada em todo o arco do Interior, considerando o Algarve como uma espécie de interior por estar afastado dos grandes centros”, explicou Luís Taborda Barata, o presidente do CACB e docente da FCS-UBI.

Nuno Marques, presidente do Conselho Executivo do ABC, destaca igualmente a mais-valia que representa para ambos os Centros esta ligação, que será importante para as populações das regiões que abrangem.   
 
“São ambos centros recentes, instalados em zonas que necessitam de estar unidas nos seus esforços. Estes centros académicos põem ao serviço da população toda a área do conhecimento para que tenham acesso aos melhores cuidados de saúde. Portanto, unir as estruturas de ensino e de saúde não é uma situação fácil, mas é essencial e foi conseguida. Nitidamente vai ter sucesso imediato e estas regiões necessitam disto”, disse o responsável, que considera o CACB e o ABC os centros “mais ativos em termos nacionais”.

Os centros académicos clínicos são entidades que juntam instituições de Ensino Superior e unidades de saúde. O CACB é aquele que a nível nacional tem a participação do maior número de entidades: UBI, institutos politécnicos de Castelo Branco, Guarda e Viseu, o Centro Hospitalar Universitário da Cova da Beira, a Unidade Local de Saúde da Guarda, a Unidade Local de Saúde de Castelo Branco e o Centro Hospitalar Tondela-Viseu. Já o ABC é um consórcio criado pela Universidade do Algarve e o Centro Hospitalar do Algarve.

O protocolo foi assinado no âmbito do programa das I Jornadas de Investigação Clínica, que decorreram no Auditório do Centro Hospitalar Universitário da Cova da Beira, com o objetivo de dinamizar e promover a investigação Clínica no Interior do país. De acordo com Luís Taborda-Barata, as jornadas foram um primeiro passo para as instituições que integram o CACB criarem um sentimento identitário. “Cada um mantém a sua autonomia, mas sabe que vamos atuar em eixos estratégicos conjuntos que acabam por ter repercussão na melhoria da prestação de cuidados de saúde à população, em investigação e na formação dos profissionais de saúde”, conclui.

Partilhar

Data da última atualização: 2018-12-03
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.